3 projetos incríveis que vão te fazer querer estudar Moda

22:00 Caixa Vintage 1 Comments


Selecionamos três projetos de estudantes de Moda pra te fazer enlouquecer, largar tudo e vir pra área! 

São todos projetos de jovens estilistas brasileiras que se formaram em 2015 na Faculdades Metropolitanas Unidas, em São Paulo. Escolhemos uma coleção de vestuário, uma de acessórios e uma de estamparia: 

Coleção de vestuário (Vestidos masculinos): A industrialização de São Paulo e o movimento operário - Yasmin Có


   
A coleção desenvolvida por Yasmin Có vem de algumas faíscas das ideias que foram lhe ocorrendo durante sua trajetória acadêmica, ela havia utilizado uniformes de trabalho como elemento têxtil base para a criação de peças sustentáveis, mas nunca havia se aprofundado no assunto do trabalho, então decidiu que precisava criar algo coerente a estética industrial da qual costumava beber. Embora não houvesse estudado até então a história do trabalho ou mesmo os movimentos trabalhistas, se interessava pelo assunto, visto que mantinha um inconformismo sobre a situação do trabalhador, nascido de suas próprias experiências com relação ao trabalho. Assim, segundo ela, em seu trabalho estetizou a indústria não como uma apologia ao que de fato é, mas buscando sua desconstrução. Sua coleção é uma crítica a indústria e uma forma de manifestar o desejo de superação de suas funções atuais. 



A base estética para toda a coleção foi o documentário “Chapeleiros” de Adrian Cooper, filmado em 1978, em uma fábrica de chapéus, que mostra a rotina de operários que trabalhavam em máquinas da época da revolução industrial em um local de estrutura inadequada, sufocante, repleto de vapor, texturas metálicas e expressões que são um verdadeiro misto de força e exaustão, mas escasso das luvas e aventais de plástico que se confundem com a pele embebida em suor. 




“Dele [documentário] retirei texturas e cores, assim como todas as formas das peças, extraídas de máquinas, canos expostos e demais ruídos visuais espalhados pela fábrica. Cada peça foi nomeada com o tempo da cena que a inspirou, para permitir que qualquer pessoa que observe a coleção e deseje assistir ao documentário possa saber exatamente qual cena gerou a forma de cada peça, o que faz com que as criações tornem-se mais táteis e acessíveis”. 



Para traduzir as sensações de sufocamento, angústia e envolvimento para as peças, Yasmin utilizou decotes fechados, texturas plásticas de brilho oleoso e formas que geram incômodo ao espectador. A coleção tem evolução da simetria a assimetria, que relacionados aos conceitos de inércia e revolução, simbolizam a trajetória do movimento operário na cidade de São Paulo durante o período abordado.




“As peças simétricas falam do momento em que o operariado estava inerte, ainda não havia se organizado e o patronado discursava sobre como tudo era feliz e lícito, quando na realidade as pessoas viviam com salários de fome. As peças que denominei como de transição, representam o momento em que o movimento operário começa a se organizar e gerar incômodo aos detentores do poder. E as peças assimétricas tratam do momento de revolução, quando ocorrem as mobilizações e greves sucessivas culminando na greve geral de 1917”. 

As cores foram escolhidas com um tom de ironia, o período que representa a inércia é mais colorido, enquanto o de revolução é mais fechado e sóbrio (representando uma maior consciência por parte dos operários da força de seu movimento). Assim as peças simétricas tem combinações menos sóbrias em comparação as demais, trazem marrom, cinza claro, branco e vinho, as de evolução contém mais tons de cinza, vinho e passam a incluir também o preto e as assimétricas são em sua maioria em tons de cinza, preto, branco e alguns toques de vinho.




Coleção de acessórios (Sapatos): The Beatles Revolver - Ariana do Nascimento e Yasmin do Nascimento


Para desenvolver seu projeto, as irmãs gêmeas Ariana e Yasmin do Nascimento, pensaram inicialmente em falar sobre a Música, por ser um tema muito abrangente buscaram como recorte um gênero musical: o Rock 'n' Roll, mas ainda assim era abrangente demais, então decidiram se inspirar em uma banda que amam e que até hoje têm enorme influência no mundo do Rock, os "The Beatles". Elas queriam falar sobre as fases mais marcantes da banda, mas isso não caberia em uma só coleção, por isso escolheram um álbum dos Beatles que melhor descrevesse todas as fases da banda. O álbum mais inovador e revolucionário, o "Revolver".


As gêmeas pesquisaram a fundo a história por trás do álbum, das músicas e dos integrantes, como foi a gravação e em que situações a banda se inspirou para compor as músicas, e uniram tudo isso as sensações que o álbum gera nelas para criar uma coleção de sapatos.


Estudando a relação da banda com a moda, sua influência na área e o conceito da letra de cada uma das músicas do álbum Revolver, identificaram formas, cores, materiais, tecidos e aviamentos, para criar sua coleção. Foram criados 14 sapatos, cada um inspirado em uma música/ letra do álbum e suas referências, como a influência da cultura indiana na música, o movimento de contracultura, a experiência dos Beatles com drogas alucinógenas e a experimentação em suas músicas.


“Durante o processo de criação, escutávamos o álbum e descrevíamos através de palavras-chaves, tudo o que sentíamos em relação a cada música, e a partir daquelas palavras íamos criando formas e cores para os sapatos. Cada sapato da coleção foi o resultado destas formas, cores e sentimentos que o álbum transmitia para nós”.


Coleção de estampas (Toy Art): Os Pecados nos órgãos, Os órgãos nas estampas, As estampas na Toy Art - Amanda Abdo e Bárbara Felipe 


As estampas desenvolvidas por Amanda Abdo e Bárbara Felipe para seu projeto tiveram como inspiração partes internas e externas do corpo humano, como músculos, órgãos, veias, ossos, dedos e língua. Elas associaram essas partes a sentimentos pecaminosos, tendo como referência livros de anatomia e psicologia de cores, além de crenças populares. Cada estampa que criaram transmite um pecado que é representado por uma parte do corpo humano com a qual tem relação.


“Uma das estampas de que mais gosto do conceito, é a da inveja (...) Lembrei de um livro sobre cores, que criava relações das cores com pecados, ele citava uma crença, que diz que o domicílio da raiva (especificamente a raiva proveniente da inveja) é a vesícula biliar, e que a cor da bile – líquido expelido da vesícula em casos de anomalia – é de um amarelo-esverdeado. Então eu já tinha informação suficiente para criar uma padronagem interessante, e de fato ficou com aspecto bem agradável”. 
Elas queriam aplicar as estampas em um objeto que não fosse simplesmente um tecido ou roupas (primeira ideia que vem à cabeça, levando em consideração que o curso é Moda), então decidiram que sua plataforma seria Toy Art e após inúmeros esboços de variados tipos de Toy Art, chegaram em um formato incomum que traz força conceitual para o projeto, os toys tem formato de cubo para serem empilhados um sobre o outro formando uma espécie de totem (símbolo de veneração para diversos povos durante milhares de anos). 

Sua linha de raciocínio foi a seguinte:

Totem = veneração de deuses/ virtudes
*aplica-se inversão de valores* 
Resultado = veneração de pecados       
*aplica-se inversão de valores para os pecados*         
Resultado = pecados não são tão maus assim   

                  
“Em um determinado limite, pode-se usufruir de coisas boas provenientes deles [pecados]. Como por exemplo, a soberba te traz auto estima e confiança, a avareza te faz pensar duas vezes antes de gastar seu dinheiro à toa, a inveja te faz sair da sua zona de conforto para ir atrás do que você cobiça, e assim para todos os sete pecados capitais”.



Um comentário:

  1. Acompanhei o processo, vi o final de todos e achei mesmo incríveis. As inspirações, as expectativas, as pirações, testes,a apresentação, todo o conjunto deu nesse resultado "bacanudo". E a escolha de 3 segmentos - Vestuário, acessórios e estamparia - deixa claro alguns dos caminhos da moda. Digo alguns porque ha muitas opçoes de carreira nesssa area. Parabens Caixa Vintage pelo texto exclarecedor do processo de cada uma das coleçoes.

    ResponderExcluir